Rastreando com a Apple

Muito se fala sobre empresas rastreando seus clientes fisicamente por meio de aparelhos eletrônicos secretamente, mas também é uma ideia que – em si – pode ser simplesmente mais uma parte do serviço e produtos que ela oferece para ajudar o cliente. 

Esse pensamento fez com que a Apple criasse o AirTag, um pequeno dispositivo circular que o cliente pode colocar próximo de qualquer objeto para evitar perdê-lo. Fazendo uso da mecânica de busca geográfica que os próprios aparelhos da Apple possuem, o AirTag estende essa capacidade para qualquer objeto que esteja próximo dele, e adiciona funções como emitir um som a comando para facilitar localização. 

Além disso, se você estiver dentro de um pequeno espaço procurando seu item, como uma casa ou apartamento, é possível realizar uma busca precisa onde o AirTag te dará direções como se fosse um GPS, mandando virar de um lado para o outro, seguir em frente etc.

Numa capacidade de ainda maior alcance, o AirTag é capaz de superar o alcance limite do Bluetooth do seu aparelho ao se comunicar com qualquer outro aparelho Apple que se encontre na proximidade. Cada vez mais a possibilidade de aplicar as capacidades de rastreamento nas mãos do cliente de forma customizada aumentam, e dá pra ver que a Apple já começou o investimento nessas possibilidades.

Boas referências para UX e UI

Uma das disciplinas introdutórias do curso de Ciência de Dados e Negócios da ESPM é a de UX/UI. Nela, os estudantes estudam os princípios