Dois workflows para jogos 2D

Para entendermos o o que é um wokflow para game 2D é necessário, primeiramente, definir o que é “game engine”. Game engine (em português, motor de jogo) consiste em um programa para computador ou um conjunto de bibliotecas capazes de juntar e construir todos os elementos de um jogo em tempo real. Ela inclui motor gráfico para renderizar gráficos em 2D ou 3D, motor de física para detectar colisões e fazer animações, além de suporte para sons, inteligência artificial, gerenciamento de arquivos, programação, entre outros. Isso tudo significa que é possível criar um game do zero de maneira mais simples e replicar vários estilos jogos com mais facilidade, como um FPS ou um jogo de plataforma (veja mais sobre o tema aqui). Alguns exemplos de engine são: Unity, Game Maker, Construct, Godot, Unreal e RPG Maker.

Partindo dessa ideia, vamos para dois workflows extremamente utilizados para a criação de jogos 2D.

Tile based: um jogo tile-based (baseado em tiles) refere-se a um estilo de jogo em que os gráficos são organizados em pequenos blocos retangulares chamados de “tiles”. Esses tiles representam partes do ambiente do jogo, como paredes, pisos, objetos e outros elementos. Os tiles são colocados em uma grade ou em um sistema de coordenadas para construir os cenários e níveis do jogo. Esse tipo de abordagem é frequentemente utilizado em jogos 2D, onde os tiles podem ser desenhados em pixel art ou em estilo vetorial.

Sprite based: um jogo sprite-based (baseado em sprites) refere-se a um estilo de jogo em que os gráficos são compostos por sprites individuais. Sprites são imagens bidimensionais que representam personagens, objetos, efeitos visuais e outros elementos gráficos do jogo. Cada sprite é uma entidade individual que pode ser movida, animada e interagir com outros elementos do jogo. Os sprites são posicionados em uma cena de jogo e podem ser controlados programaticamente para criar a jogabilidade.

Na engine Unity, por exemplo, ambos os estilos de jogo podem ser implementados de maneiras diferentes. Para jogos tile-based, o Unity oferece suporte para sistemas de grade (grid systems) e ferramentas para importar e organizar tiles em uma cena. Já para jogos sprite-based, o Unity permite importar sprites individuais e animá-los usando um sistema de animação, além de oferecer recursos para lidar com a física e a interação entre sprites. Em resumo, a diferença está na forma como os elementos gráficos são estruturados e utilizados nos jogos. No jogo tile-based, os gráficos são organizados em tiles, enquanto no jogo sprite-based, os gráficos são compostos por sprites individuais. Ambas as abordagens têm suas próprias vantagens e são adequadas para diferentes estilos de jogos e necessidades de design.

No vídeo a seguir, estas ideias são exploradas:

#GoGamers

Somos todos ciborgues?

Por Vicente Martin _____________________________ Ao  observarmos  o quanto de tecnologia travamos contato em nosso cotidiano, podemos  levantar  o  seguinte  questionamento: estaríamos, nós humanos, nos