Diferenciando protótipo de MVP

Embora frequentemente confundidos, o protótipo e o MVP (Produto Mínimo Viável) assumem funções distintas no processo de desenvolvimento de produtos, especialmente no contexto de startups e inovações. A compreensão precisa de suas particularidades é fundamental para o sucesso de qualquer projeto.

O protótipo se configura como uma representação inicial do produto, com foco na validação do conceito e da viabilidade técnica. Sua função principal reside na simulação da aparência e do comportamento do produto final, sem necessariamente apresentar todas as funcionalidades previstas. O objetivo central é testar a usabilidade, a experiência do usuário e o design da solução proposta, buscando feedback para aprimorá-la antes do desenvolvimento completo.

Em contraste, o MVP se caracteriza por ser um produto funcional que oferece as funcionalidades básicas para atender às necessidades dos clientes. Seu propósito fundamental reside na validação da viabilidade comercial da ideia e na obtenção de feedback real dos usuários. O MVP permite testar se o mercado está receptivo ao produto e se os clientes estão dispostos a pagar por ele, fornecendo insights valiosos para o direcionamento estratégico do projeto.

A principal diferença entre os dois reside no foco: o protótipo prioriza o design e a experiência do usuário, enquanto o MVP se concentra na funcionalidade principal e no valor que o produto entrega ao cliente.

Vamos pensar em uma analogia bem prática: um carro. O protótipo seria equivalente a um modelo em miniatura, utilizado para testar a aerodinâmica e o design geral do veículo. Já o MVP seria um carro funcional, com as características básicas para se locomover, mas ainda passível de aprimoramentos e adições de funcionalidades.

Sendo assim,a escolha entre protótipo e MVP depende da fase de desenvolvimento do produto e dos objetivos específicos do projeto. O protótipo é ideal para as fases iniciais, quando a viabilidade técnica e o design precisam ser validados. Já o MVP é mais adequado para etapas posteriores, quando o foco se concentra na viabilidade comercial e no feedback dos usuários.

A compreensão das diferenças entre esses dois conceitos permite que startups e empresas tomem decisões mais estratégicas e assertivas no processo de desenvolvimento de novos produtos, aumentando as chances de sucesso e minimizando os riscos de investimento.

Referências:

https://vidadeproduto.com.br/diferenca-prototipo-vs-mvp/

Boas referências para UX e UI

Uma das disciplinas introdutórias do curso de Ciência de Dados e Negócios da ESPM é a de UX/UI. Nela, os estudantes estudam os princípios