Jet Lag: pega-pega aos extremos

Será que existe alguma criança brasileira que nunca jogou ou não sabe o que é pega-pega? Todos sabem a ideia desse jogo, uma pessoa tem o papel de correr atrás dos outros, o “pegador”, e os outros devem correr dessa pessoa, mas quando o pegador pega em alguém, essa pessoa se torna o novo pegador. Certamente é algo que crianças podem se divertir com, mas para transformar essa brincadeira em um enorme jogo, e transmiti-lo como um programa de sucesso para um audiência muito maior e de diversas idades, foi o desafio tomado pela equipe de “Jet Lag: The Game”.

As principais maneiras que os criadores do show, Adam Chase, Ben Doyle e Sam Denby acharam de expandir o conceito para um enorme sucesso foram primeiro expandir a escala, criar novas regras e ideias, e incorporar a tecnologia moderna em todos os passos do processo. Jet Lag é uma competição onde os jogadores atravessam países inteiros num jogo de pega-pega de perseguição à longa distância entre três jogadores. As condições do jogo mudam com cada edição, ou é uma corrida para ver quem passa por mais estados primeiro, ou um desafio onde uma pessoa é o corredor e deve conseguir chegar numa área específica do continente para vencer, enquantos os outros tentam pegá-la para roubar a posição que possam então ir na direção que lhes trará a vitória, forçando os outros a tomarem o papel de perseguidores novamente.

Tudo isso é feito com uma grande integração de tecnologia visando o entretenimento, desde equipes de câmera acompanhando os corredores, gopros para que os jogadores gravem seus movimentos em primeira pessoa. A própria parte da perseguição é atada à tecnologia, já que é feita através de rastreadores carregados por cada jogador, permitindo que os outros realizem uma caçada através de programas de mapa como o Google Maps e mais, tentando prever o próximo passo da competição, e quando acham o corredor, devem “pegá-lo” atravès de capturar uma imagem do perseguidor com suas câmeras. Jet Lag está disponível não só no Youtube, mas nas plataformas de streaming Nebula e Curiosity Stream também.

Somos todos ciborgues?

Por Vicente Martin _____________________________ Ao  observarmos  o quanto de tecnologia travamos contato em nosso cotidiano, podemos  levantar  o  seguinte  questionamento: estaríamos, nós humanos, nos