Diferenciando game, game-based learning e gamification

Este texto visa explicar as diferenças (muitas vezes sutis) entre os três itens citados no título.

Game: produto com objetivo de entretenimento podendo ser utilizado como metáfora para uma situação específica de negócios, treinamento ou educação. Ex.: Valiant Hearts para falar sobre a Primeira Guerra Mundial (que, inclusive, possui cenas de um documentário de TV).

Game based learning (GBL): aprendizado baseado em jogos; é uma metodologia que permite a criação e uso de games para finalidades didáticas. Ex.: o game SPACE TRAIN criado especificamente para ensinar sobre blockchain pelo Power Lab do curso de SI e o Arenas Hub do curso de Comunicação e Publicidade da ESPM. Longe de ser uma aula completa do tema, o Space Train é uma ferramenta desenvolvida para ser usada em aulas de blockchain complementando as explicações sobre as ideias de hash, ledger e mineração. O game funciona como um PWA e funciona desktop e mobile de maneira completamente responsiva. Acesse aqui.

Já gamificação emprega técnicas motivacionais que os designers de videogames têm usado por anos, para motivar os jogadores, e aplica – as em contextos que não são jogos. Essas técnicas incluem (mas não se limitam a): concepção de objetivos a serem alcançados, reconhecimento por badges , engajamento via competição, encorajamento à colaboração em equipe, caracterização de status por ranking e estímulo ao acúmulo de pontos. (PAHARIA, 2013, p. 65) PAHARIA, Rajat . Loyalty 3.0 – How to revolutionize customer and employee engagement with big data and gamification . Canadá: McGraw – Hill Education , 2013. Um exemplo que mostra claramente isso é o programa My Starbucks Rewards.

Diferenciando protótipo de MVP

Embora frequentemente confundidos, o protótipo e o MVP (Produto Mínimo Viável) assumem funções distintas no processo de desenvolvimento de produtos, especialmente no contexto de