O que é um sistema imunológico digital

O nome é peculiar, mas a definição não é tão complexa quanto parece. Um “sistema imunológico digital”, em um primeiro momento, pode soar como um termo ligado com ficção científica. No entanto, é uma prática mais corriqueira do que se pode imaginar e já é praticado por muitas empresas.

Segundo o relatório de tendências do grupo Gartner para 2023, um DIS (sistema imunológico digital) pode ser definido como uma fusão abrangente de medidas de segurança cibernética, tecnologias e uma estrutura projetada para detectar, responder e mitigar ameaças cibernéticas em tempo real. O termo foi inventando devido à sua semelhança com nossos sistemas imunológicos biológicos que trabalham ininterruptamente para defender nossos corpos contra infecções, bactérias e, obviamente, vírus (fonte:https://www.gartner.com.br/pt-br/artigos/dez-principais-tendencias-estrategicas-gartner-2023). Vale ressaltar que, neste relatório, é discutido que “até 2025, as organizações que investem na construção de imunidade digital aumentarão a satisfação do cliente diminuindo o tempo de inatividade em 80%”. Este é primeiro item em destaque no relatório mencionado e, portanto, merece atenção especial nesse post.

Por que é importante estarmos antenados nesse termo? A resposta está conectada com o fato de que teremos ataques cibernéticos cada vez mais sofisticados no futuro e também com a tendência de grande parte do conteúdo de dados das empresas estarem armazenadas em nuvem. 

Ou seja: proteger dados e manter a confiança é fundamental para as companhias no mundo contemporâneo. Um sistema imunológico digital eficiente protege a empresa e, consequentemente os clientes.

Boas referências para UX e UI

Uma das disciplinas introdutórias do curso de Ciência de Dados e Negócios da ESPM é a de UX/UI. Nela, os estudantes estudam os princípios