Música para focar, trabalhar ou só relaxar

Por Carlos Rafael Gimenes das Neves

Não é segredo que a ansiedade tem sido considerada o mal do século XXI. A ansiedade pode provocar diversos sintomas nas pessoas, indo desde sintomas físicos, como coração acelerado, até sintomas psicológicos, como irritabilidade. Tanto os sintomas, como suas intensidades, variam bastante de pessoa para pessoa. Alguns desses sintomas, contudo, são velhos conhecidos de muitas pessoas, até mesmo daquelas ainda não efetivamente diagnosticadas com transtorno de ansiedade: excesso de preocupações, inquietação mental, irritabilidade e pensamentos incontroláveis.

O tratamento do transtorno em si é feito por meio de profissionais da saúde, como psicólogos e psiquiatras, podendo ou não estar associado ao uso de medicamentos. Claro que, dependendo do desejo da pessoa, e dependendo da intensidade do sintoma, existem outras formas de se conseguir resultados bastante satisfatórios mesmo sem o uso de medicamentos. Nessa linha, algumas pessoas conseguem encontrar na prática de esportes um meio de controlar um pouco esses sintomas. Outras pessoas recorrem à aromaterapia, ou mesmo à cromoterapia. E, assim como essa pessoa que aqui escreve, muitas pessoas acabam recorrendo à música como uma forma de tentar organizar melhor as ideias e acalmar o pensamento, na tentativa de obter mais foco em uma atividade específica que se deseja executar.

Na esfera musical, cada pessoa tem um gosto particular, e tem um ou mais estilos favoritos que considera como um calmante para a mente. Apesar de não ser regra geral para esse fim, normalmente as pessoas procuram por músicas mais calmas, com melodia leve e poucas batidas por minuto (BPM). Existem gêneros musicais inteiramente dedicados a esse propósito, como é o caso do chill-out (ou chillout), que deixou de ser um “som ambiente” para se tronar um gênero próprio.

Assim como ocorre com todos os gêneros populares, novas vertentes são criadas, dando origem a outros estilos musicais similares, mas com algumas características particulares. Como é o caso do Lofi hip hop (ou lo-fi hip hop), que combina chill-out com hip hop, e vem ganhando mais espaço e aceitação desde meados dos anos 2000. Na atualidade, o ícone que mais se destaca na internet é a “Lofi Girl” , uma gravadora / canal do YouTube que transmite esse gênero musical 24 horas por dia, há anos, e já tem mais de 12 milhões de inscritos!

É possível acessar o canal do YouTube neste link aqui.

O stream mais popular do canal é justamente o “lofi hip hop radio – beats to relax/study to”, e, uma curiosidade: esse canal era absurdamente popular entre os alunos do curso de Sistema de Informação em 2018 e 2019 💖.

O nome do stream já faz uma alusão ao tipo de atividade que as pessoas fazem enquanto escutam: relaxam a mente na procura de uma forma de se livrar das distrações externas enquanto se focam em uma atividade intelectual específica!

O sucesso da LofiGirl é tamanho que muita gente entrou na onda, como o próprio Will Smith, que durante o início da pandemia de COVID 19, em março de 2020, publicou o vídeo “chill beats to quarantine to”, já com quase 20 milhões de visualizações!

É fácil encontrar mais centenas de outros canais no YouTube com esse tipo de música, para os mesmos fins.

Mas, além da música em si, existem pessoas que preferem algo menos artificial para tentar relaxar e focar a mente: sons da natureza! Eles vão desde vídeos com sons da água do mar em uma praia, até pássaros cantando em montanhas. Um excelente exemplo é o canal Nature Soundscapes , com um conteúdo bem extenso.

Para não ficar de fora, e surpreendendo milhões de fãs ao redor do mundo, eis que a Mojang publicou cinco vídeos de uma hora cada, ambientados no universo do Minecraft, justamente para aquelas pessoas que procuram conforto e relaxamento para tentarem focar em suas atividades. Não são vídeos com a trilha sonora do Minecraft em si, mas com sons dos ambientes naturais mostrados nas cenas:

Já conhecia sobre esse assunto? Já ouviu alguns desses vídeos ou canais? Gosta de escutar música para acalmar a mente e se concentrar? Entra na discussão lá no Instagram do curso!

Somos todos ciborgues?

Por Vicente Martin _____________________________ Ao  observarmos  o quanto de tecnologia travamos contato em nosso cotidiano, podemos  levantar  o  seguinte  questionamento: estaríamos, nós humanos, nos